Instituto Brasil Rural

  • português
  • español
  • english
Principais Atividades

Turismo no Espaço Rural

Guia Rural

Estudo Preliminar da cadeia produtiva do Turismo Rural No Brasil

Estudo Preliminar da cadeia produtiva do Turismo Rural No Brasil

Confraria Ruarl





Materiais Turismo Rural SP


Em São Paulo, o turismo rural teve seu início mais tardio que em outros estados do Sudeste e Sul do Brasil, decorrente de ser este um dos mais ricos polos agro produtivos nacionais e as dificuldades produtivas chegaram mais tardiamente no Estado. Por isso, os proprietários rurais não reconheciam a necessidade da agregação de valor que o turismo rural ofertava já em outras Unidades da Federação De maneira geral no Brasil inicialmente os empresários que ingressaram no negócio do turismo rural, o fizeram em busca de uma alternativa de receita e com um claro objetivo de melhorar a rentabilidade de sua atividade. A grande maioria adotou a atividade turística para complementação de receita da atividade tradicional agropecuária, mantendo-se no campo e recebendo o turista em sua casa, sendo essa peculiaridade é um dos pontos fortes do produto, já que o elemento vivencial, mais valorizados pelo turista é a possibilidade de compartilhar com a família rural suas experiências e modos de vida e o nível de emprego gerado pelas atividades de serviços nas áreas rurais, a que o turismo faz parte, tem não só implicações econômicas diretas, como também relativas à qualidade de vida. Porém, posteriormente São Paulo foi um dos primeiros estados do país a ter ações efetivas de políticas públicas voltadas ao desenvolvimento do turismo rural.O Instituto de Desenvolvimento do Turismo Rural Brasil Rural (2010) lançou os primeiros Indicativos do Turismo Rural Paulista, que identificaram 37,5%, das propriedades rurais, voltada aos serviços turísticos, são pousadas rurais de menor porte, onde se conjugava aconchego e possibilidades de hospedagens mais acessíveis, sem que isso signifique ausência de conforto e charme. Estes mesmos dados, identificaram que outros 33,2% são empreendimentos voltados ao Agroturismo e/ou Agroindústria artesanal, que ofertam a visitação para vivência do cotidiano rural produtivo, agregando valor ao produto rural, porém, sem hospedarem; 6,9%são empreendimentos voltados ao turismo rural pedagógico, atividade identificada como sendo aquela, de cunho educativo, que permite o processo de ensino e conhecimento do universo rural, seus meios de produção, históricos e culturais, com a exigência de uma preparação didática pedagógica. Os dados apresentados, nesta pesquisa, permitiram iniciar um processo de reflexão da necessidade de ações efetivas de políticas públicas voltadas ao desenvolvimento do turismo rural. Atualmente, há mais de dezesseis pólos rurais entre eles: Município de Brotas e Região; Município de Cardoso e Região; Município de Ribeirão Preto e Alta Mogiana; Município de Mococa e Região; Holambra e Região; Mogi das Cruzes e Região; São Roque (Itupararanga / Sorocabana); Município de Itú e Região; Campinas e Região; Ubatuba e Região Litoral Paulista; Município de Bananal e Região do Vale do Paraíba; Registro e Região do Vale do Ribeira; São Paulo na APA Capivari Monos e Região; Município de Tupã e Região; Região Turística Entre Serras e Águas ( Municípios de Atibaia, Indaiatuba, Itatiba, Itupeva, Jarinu, Jundiaí, Louveira, Morungaba, Valinhos e Vinhedo; Região Turística Mantiqueira Paulista Campos do Jordão, Monteiro Lobato, Pindamonhangaba, Santo Antônio do Pinhal, São Bento do Sapucaí e São José dos Campos.Atibaia, Bom Jesus dos Perdões, Bragança Paulista, Jarinu, Joanópolis, Mairiporã, Nazaré Paulista, Pedra Bela, Pinhalzinho, Piracaia, Tuiuti e Vargem e Guarulhos; Região Turística do Circuito das Frutas. Algumas destas regiões inovam e caracterizam-se pela criação de consórcios do uso de áreas de proteção ambiental (APA), reservas particulares do patrimônio natural, com atividades turísticas rurais e produtivas, como acontece no Município de e Santo Antônio do Pinhal como exemplo a Fazenda Renópolis. No Levantamento realizado para a SETUR SP e FIA apresentados no Panorama do Turismo Rural do Estado de São Paulo (2023), apontam potencialidade de novos nichos de mercado como o enoturismo que tem um potencial de agregar valor à oferta

 

Fontes

https://www.institutobrasilrural.org.br/download/b_INDICES_PAULISTAS_TURISMO_RURAL.pdf

https://www.institutobrasilrural.org.br/pdf/Guia_Produtos_Tradicionais_Rurais.pdf

https://www.institutobrasilrural.org.br/download/20221108164840.pdf

https://www.institutobrasilrural.org.br/download/20230816130209.pdf

https://youtu.be/3LpWTD9N-TQ?si=4DkUutsKI87ISJkd

O presente material configura-se como o resultado do trabalho desenvolvido pelos participantes da Oficina Paulista de Turismo Rural, promovida pelo SENAC SP Instituto de Desenvolvimento do Turismo Rural Brasil Rural e ABRATURR SP - Associação Paulista de Turismo Rural, que objetivou indicar estratégias, definir prazos e estabelecer formas de acompanhamento e avaliação para a implementação das “Diretrizes para o Desenvolvimento do Turismo Rural Paulista O turismo, nesta reunião foi reconhecido como sendo uma atividade altamente dinâmica e sempre em evolução, seja pelas características do mercado ou pela conjuntura que estabelece o cenário onde estamos atuando. Aconteceram intensas discussões sobre o tema a procura pela convergência de objetivos e pelo compromisso de todos em cooperar com a construção de um Estado aberto ao Turismo Rural Acreditando no lema “Planeje hoje o seu trabalho de amanhã e trabalhe amanhã o seu plano de hoje” fez-se um processo de planejamento participativo é democrático permitiu a absorção de propostas, idéias e contribuições de todos e a apresentação deste relatório norteador de atividades .



O projeto de Pesquisa do Turismo Rural Paulista, vem sendo desenvolvido desde 2005, quando pesquisadores foram a campo a procura de conhecer e reconhecer quem são aqueles que fazem parte deste universo. Abrangendo área territorial de 248.808,8 Km2 , que compreende 2,91% da área total do País, esta pesquisa partiu de um reconhecimento exploratório em campo, acreditando que ele permitiria formular uma primeira visão da realidade. Nesta fase, foram realizados vários contatos com proprietários rurais, em- preendedores, profissionais que atuam no setor e representantes de organizações governamentais e não governamentais, que mui- to enriqueceram os conceitos e dados deste projeto, permitindo a formulação destes indicadores do cadastramento do turismo rural paulista e a produção deste Guia.

Carta do Turismo Rural Paulista 2020


O turismo rural e a pluriatividade na perspectiva da multifuncionalidade: as propriedades rurais situadas na Rota Turística da Uva no município de Jundiaí-SP TR Rocha - 2022 A dinâmica do espaço geográfico tem se tornado cada vez mais complexa e mutável, e uma das implicações dessas características está relacionada à diversificação das ocupações da população residente em áreas rurai

Panorama doTurismo Rural do Estado de 2023 São Paulo

Rota Turistica do Queijo Artesanal Paulista Neste guia você irá encontrar uma diversidade de opções para caminhar pelo Estado de São Paulo e degustar os sabores dos queijos artesanais paulistas. O Turismo Gastronômico ganha força proporcionando experiências que vão do campo à mesa. O guia mapeou para você o que há de melhor em queijos no Estado de São Paulo. Realização Secretaria de Turismo e Viagens de São Paulo

O trabalho apresenta o jovem rural do Circuito das Frutas de São Paulo como um personagem principal para renovação da agricultura periurbana – aquela que fica em torno da cidade –, mostrando como ele se insere no contexto das famílias rurais, quais as limitações para a sua permanência no campo e quais as possibilidades de dar continuidade à atividade agrícola de seus pais. Março 2021 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária /Embrapa Meio Ambiente/ Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento


© 2024 Instituto Brasil Rural - Todos os direitos reservados
by Guest   Fotos Pisco Del Gaiso
He went on to produce his own watches a few years later, and replica watches the Rolex name came about in 1908. In about 1920 he moved to Bienne, Switzerland to open Montres Rolex S.A., which is when everything really begun. Just six years later the brand's hallmark product family would be released. One thing is notably absent from the 1926 Rolex Oyster replica watches. The trademark crown logo is missing. Rolex didn't come up with the crown logo until the early 1930s, but you can see that on one of the pieces the Rolex name was presented in the same font and style that it is in today. You'll also notice the replica watches uk fluted bezel, which is also a hallmark of Rolex design on today's Datejust and Day-Date models (among others) This was part of replica watches the patented water-resistance system employed in the Rolex Oyster. Hermetically sealed, the Rolex Oyster was innovative not just for being able to be taken into the water, but for resisting a range of replica watches sale liquids and particles such as dust from entering the case.