Instituto Brasil Rural

  • português
  • español
  • english
Principais Atividades

Turismo no Espaço Rural

Guia Rural

Estudo Preliminar da cadeia produtiva do Turismo Rural No Brasil

Estudo Preliminar da cadeia produtiva do Turismo Rural No Brasil

Confraria Ruarl





Materias Gerais de Interesse sobre Unidades de Conservação: RPPNs e Outros

Materias Gerais de Interesse sobre Unidades de Conservação: RPPNs e Outros 

Atualizados em 2020


As Unidades de Conservação (UCs) são uma das estratégias de preservação e conservação do patrimônio natural empregadas em todo o mundo (CARREGOSA, 2015). Sua criação é reconhecida como um dos principais instrumentos de proteção ambiental que compõem a agenda comum do poder público e da sociedade civil, recebendo por isso grande destaque e reconhecimento em debates, pesquisas e trabalhos acadêmicos (BRASIL, 2011; MINOHARA, 2016; SILVA, 2017).

O Brasil, um país megadiverso, instituiu no ano 2000 o Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC) promulgado pela Lei nº 9.985 que regulamentou a criação das Unidades de Conservação (UCs) como estratégia de proteção em prol das áreas naturais e conservação de seus recursos, normatizando o acesso o aproveitamento econômico e qualquer outro tipo de alteração por parte das atividades humanas na área .  

O SNUC categoriza as UCs em dois grandes grupos, as Unidades de Proteção Integral e as Unidades de Uso Sustentável, divididas em subcategorias que normatizam seus objetivos e particularidades segundo o tipo de uso dos recursos naturais (indireto ou direto), bem como o aproveitamento econômico e qualquer outro tipo de alteração por parte das atividades humanas para garantir assim a qualidade ambiental e promover em uma escala mais ampla o equilíbrio natural. 

As Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPNs) são unidades de uso sustentável que têm como objetivo estabelecido pelo SNUC assegurar a integridade do ecossistema local e difere das outras categorias por ser criada em área de posse e domínio privado por ato voluntário do proprietário rural que assume o compromisso de conservar a natureza em parte da sua propriedade

Esta especificidade ao mesmo tempo em que demonstra a importância dessas áreas como espaços de integração entre os territórios rurais produtivos e a conservação dos recursos naturais, acarretam dificuldades de entendimento no que se referem às normativas, leis e políticas públicas pertinentes a esta categoria de unidade de conservação sendo necessários estudos mais aprofundados que compreendam tal realidade.


Formulário de Roteiros para Formação de RPPN Fonte ICMBIO http://www.icmbio.gov.br/portal/criesuareserva

RPPN RESERVAS PARTICULARES DO PATRIMÔNIO NATURAL DA MATA ATLÂNTICA organizadores: Carlos Alberto Bernardo Mesquita e Maria Cristina Weyland Vieira Conselho Nacional da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica

Ojidos, Flávio Conservação em ciclo contínuo : como gerar recursos com a natureza e garantir a sustentabilidade financeira de RPPNs / Flávio Ojidos, coautores Claudio Valladares Padua e Angela Pellin. -- São Paulo : Essential Idea Editora, 2018. 1. Conservação da natureza 2. Desenvolvimento sustentável - Aspectos ambientais 3. Ecologia 4. Economia ambiental 5. Meio ambiente - Aspectos econômicos 6. Responsabilidade ambiental 7. Sustentabilidade I. Valladares Padua, Claudio. II. Pellin, Angela. III. Título.

REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE ENGENHARIA FLORESTAL - ISSN 1678-3867 PERIODICIDADE SEMESTRAL – EDIÇÃO NÚMERO 11 – FEVEREIRO DE 2008 PLANEJAMENTO DE TRILHAS NA RESERVA PARTICULAR DE PATRIMÔNIO NATURAL “FONTE DA BICA”, AREIA BRANCA-SE Raquel Carvalho Guerreiro Engenheira Florestal. raquelflorestal@hotmail.com Laura Jane Gomes Engenheira Florestal – Professora Adjunta do Departamento de Engenharia Agronômica da Universidade Federal de Sergipe. laurabuturi@ufs.br Marcelo Nogueira Engenheiro Florestal – Professor Adjunto da Universidade Federal do Espírito Santo. mnogueira@fca.unesp.br Ivana Silva Sobral Bióloga - Mestranda do Núcleo de Recursos Naturais da Universidade Federal de Sergipe. ivanasobral@yahoo.com.br

RPPN SP SOS Mata Atlântica

RPPN MG SOS Mata Atlântica

RPPN BAHIA SOS Mata Atlântica

ANÁLISE DA EFETIVIDADE DAS RESERVAS PARTICULARES DO PATRIMÔNIO NATURAL (RPPNS) DE ÂMBITO FEDERAL EM SANTA CATARINA ISAAC SIMÃO NETO Dissertação de mestrado apresentada ao Curso de Mestrado Profissional do Programa de Pós-Graduação em Planejamento Territorial e Desenvolvimento Socioambiental da Universidade do Estado de Santa Catarina como requisito parcialpara obtenção do grau de Mestre em Planejamento Territorial e Desenvolvimento Socioambiental. Professor Orientador: Dr. Mário Jorge Cardoso Coelho de Freitas. FLORIANÓPOLIS, SC 2017

PLANO DE MANEJO RESERVA PARTICULAR DO PATRIMÔNIO NATURAL (RPPN) FAZENDA SÃO GERALDO AUTOR Marco de Barros Costacurta, Biólogo, mestre em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional (UNIDERP). Coordenador e executor do trabalho (pesquisa de campo, pesquisa bibliográfica, análise dos dados, levantamentos de fauna, levantamentos históricos e sócio- econômicos, elaboração do plano de manejo e redação).




Caderno no 28 RPPN RESERVAS PARTICULARES DO PATRIMÔNIO NATURAL DA MATA ATLÂNTICA. organizadores: Carlos Alberto Bernardo Mesquita e Maria Cristina Weyland Vieira. Conselho Nacional da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica



Orzechowski. A.; Liesenberg. V. Relação entre unidades de conservação e a legislação ambiental brasileira: um estudo de caso na Região Sul. Geosul, Florianópolis, v. 24, n. 48, p 131-152, jul./dez. 2009

Orzechowski .A.; Liesenber.V Relação entre unidades de conservação e a legislação ambiental brasileira: um estudo de caso na Região Sul. Geosul, Florianópolis, v. 24, n. 48, p 131-152, jul./dez. 2009

III CAPLAC - Dia das Áreas Protegidas da América Latina e Caribe





Perguntas e Respostas Sobre Reservas Particulares do Patrimônio Natural MMA






Revista Ibero-Americana de Ciências Ambientais, Aquidabã, v.6, n.2, Jun, Jul, Ago, Set, Out, Nov 2015. ISSN 2179-6858 SECTIO FERREIRA, D. J. S.; SOUZA, I. A.; ECKERT, N. O. S.; COELHO, A. S.. Caracterização das unidades de conservação de proteção integral do estado de Sergipe. Revista Ibero-Americana de Ciências Ambientais, Aquidabã, v.6, n.2, p.121-143, 2015.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ADMNISTRAÇÃO RURAL III CONGRESSO BRASILEIRO DE ADMINISTRAÇÃO RURAL RESERVAS PARTICULARES DO PATRIMÔNIO NATURAL: caminhos para a prática da administração rural e da educação ambiental FRANCISCO GIOVANNI DAVID VIEIRA WÂNIA REZENDE SILVA

RPPN: A PROTEÇÃO AMBIENTAL PELA INICIATIVA PRIVADA Diego Da Rocha FeRnanDes VictoR Luiz gonçaLVes saRmento REVISTA CIENTÍFICA DA ESCOLA DE DIREITO POTIGUAR Ano 6, n. 1 - out. 2012/mar. 2013

CARACTERIZAÇÃO FÍSICA DA RPPN COAMO II (CAMPO MOURÃO - PR) POR MEIO DE PERFIL GEOECOLÓGICO

Dissertação de Mestrado UNIVERSIDADE TIRADENTES PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE E AMBIENTE NATALI OLIVEIRA SANTOS ECKERT

MEDEIROS, R. Evolução das Tipologias e Categorias de Áreas Protegidas no Brasil. Revista Ambiente & Sociedade – Vol. IX no. 1 jan./jun. 2006 41-65 p.

Proposta metodológica para o estudo das atitudes das comunidades no entorno de Unidades de Conservação (UCs) de proteção integral no Brasil CHIARA BRAGAGNOLO* ANA CLÁUDIA MENDES MALHADO ANA CLAUDIA MENDES MALHADO RICHARD JAMES LADLE

SUBSÍDIOS PARA O ESTABELECIMENTO DE PROGRAMAS DE INCENTIVO A CRIAÇÃO E GESTÃO DE RPPNs: ESTUDO DE CASO SOBRE OS ESTADOS DE SÃO PAULO E MATO GROSSO DO SUL ANGELA PELLIN* FLAVIO SILVA OJIDOS *IPÊ - INSTITUTO DE PESQUISAS ECOLÓGICAS -

A PROTEÇÃO DAS RESERVAS PARTICULARES DO PATRIMÔNIO NATURAL NO ENTORNO DO PARQUE NACIONAL DA CHAPADA DOS VEADEIROS, ESTADO DE GOIÁS, BRASIL. DESIREE CRISTIANE BARBOSA DA SILVA REUBER ALBUQUERQUE BRANDÃO THAÍS FERREIRA DE DEUS

© 2020 Instituto Brasil Rural - Todos os direitos reservados
by Guest   Fotos Pisco Del Gaiso
He went on to produce his own watches a few years later, and replica watches the Rolex name came about in 1908. In about 1920 he moved to Bienne, Switzerland to open Montres Rolex S.A., which is when everything really begun. Just six years later the brand's hallmark product family would be released. One thing is notably absent from the 1926 Rolex Oyster replica watches. The trademark crown logo is missing. Rolex didn't come up with the crown logo until the early 1930s, but you can see that on one of the pieces the Rolex name was presented in the same font and style that it is in today. You'll also notice the replica watches uk fluted bezel, which is also a hallmark of Rolex design on today's Datejust and Day-Date models (among others) This was part of replica watches the patented water-resistance system employed in the Rolex Oyster. Hermetically sealed, the Rolex Oyster was innovative not just for being able to be taken into the water, but for resisting a range of replica watches sale liquids and particles such as dust from entering the case.