Instituto Brasil Rural

  • português
  • español
  • english
Boletim Informativo
Linha de Financiamento do Turismo Rural Paulista

01/05/2017

O Governo do Estado de São Paulo está apostando no turismo rural como gerador de emprego e renda. De quebra, ainda garante possibilidade de lazer para o público em geral. É o que demonstram ações recentes das secretarias de Esportes, Lazer e Turismo e da Agricultura e Abastecimento: a assinatura do decreto aprovando o projeto Turismo Rural, que utiliza recursos do Fundo de Expansão do Agronegócio Paulista da Secretaria de Agricultura (Feap). 

A linha de financiamento do Feap nasceu a partir de discussões da Câmara Setorial de Lazer e Turismo Rural, que funciona no âmbito da Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios da Secretaria, reunindo toda a cadeia. Depois de estudos técnicos, foi aprovada a linha de financiamento com teto de até R$ 80 mil por produtor e até R$ 300 mil por cooperativa ou associação. O prazo de pagamento é de até cinco anos, inclusa a carência de até dois. A taxa de juros é de 3% ao ano. O cronograma de liberação é de acordo com o projeto técnico. 

Os beneficiários são produtores rurais - pessoas físicas ou organizadas como empresas jurídicas (micro e pequenas empresas), bem como suas cooperativas ou associações, enquadrados como beneficiários do Feap (renda agropecuária bruta anual de até R$ 400 mil).

A linha do Feap tem como itens financiáveis a melhoria das redes elétrica e hidráulica; instalação de pararraios; construção e/ou reforma das instalações sanitárias, de cozinha e salão de refeições, aquisição de equipamentos para cozinha e salão de refeições; reforma de instalações existentes destinadas à recepção e hospedagem de turistas, portadores de necessidades especiais ou não; e instalação de equipamentos de lazer. 
<br/>
Foram realizados levantamentos sobre a atividade e suas perspectivas de crescimento, concluindo-se que existe demanda por lazer, turismo e diversão junto ao espaço rural, o que também significa um resgate das raízes de muita gente que hoje vive a correria das grandes cidades. Da parte do produtor rural, que por vezes encontra dificuldades em escoar o excedente de sua produção, sofre com intempéries climáticas e/ou econômico-financeiras e acaba muitas vezes abandonando o campo, viu-se uma alternativa de renda, especialmente pela agregação de valor aos produtos. 

Atualmente, o turismo rural é considerado uma atividade essencialmente familiar, que pode ser praticada nas propriedades rurais onde o turista tem a oportunidade de acompanhar o processo de produção do alimento. Além de uma boa conversa, oferece uma grande variedade de produtos: geléias, doces, biscoitos, pães, café, fubá, leite, queijo, ricota, iogurte, vinhos, licores, bem como legumes, verduras, frutas, pesca, cavalgadas e venda de artesanato, dentre outros.  ttp://www.saopaulo.sp.gov.br/spnoticias/lenoticia.php?id=200659

© 2019 Instituto Brasil Rural - Todos os direitos reservados
by Guest   Fotos Pisco Del Gaiso
He went on to produce his own watches a few years later, and replica watches the Rolex name came about in 1908. In about 1920 he moved to Bienne, Switzerland to open Montres Rolex S.A., which is when everything really begun. Just six years later the brand's hallmark product family would be released. One thing is notably absent from the 1926 Rolex Oyster replica watches. The trademark crown logo is missing. Rolex didn't come up with the crown logo until the early 1930s, but you can see that on one of the pieces the Rolex name was presented in the same font and style that it is in today. You'll also notice the replica watches uk fluted bezel, which is also a hallmark of Rolex design on today's Datejust and Day-Date models (among others) This was part of replica watches the patented water-resistance system employed in the Rolex Oyster. Hermetically sealed, the Rolex Oyster was innovative not just for being able to be taken into the water, but for resisting a range of replica watches sale liquids and particles such as dust from entering the case.