Instituto Brasil Rural

  • português
  • español
  • english
Boletim Informativo
Nasce Projeto Quilombo das Américas

01/05/2017

O Projeto que objetiva contribuir para a ampliação do acesso aos direitos econômicos, sociais e culturais das comunidades de remanescentes de quilombos, ganhou vida oficialmente com a assinatura do Projeto de Cooperação Técnica entre Quilombos das Américas: articulação de comunidades afro rurais O projeto será executado pela Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República (SEPPIR/PR) e conta com a participação da Agência Brasileira de Cooperação do Ministério das Relações Exteriores (ABC/MRE); da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, por meio do seu Centro Nacional de Pesquisa em Hortaliças (EMBRAPA/CNPH); do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA); e com o apoio dos seguintes Organismos Internacionais: Secretaria Geral Ibero-americana (SEGIB), Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA) e o Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher (UNIFEM). O Quilombo das Américas será desenvolvido no Equador, Colômbia, Panamá e Brasil. Inicialmente, será realizada uma reunião de nivelamento, com a participação dos consultores, dos representantes das comunidades selecionadas dos países, de especialistas, de representantes dos governos envolvidos, e de organismos internacionais. A partir desta reunião, serão levantadas informações sobre as políticas públicas, programas, projetos, pesquisas acadêmicas e outras; atividades e legislação existentes no tema nos quatro países; bem como serão realizadas visitas a instituições governamentais, universidades, institutos de pesquisas, etc. Segundo informou Carlos Basco, Representante do IICA no Brasil, “após as primeiras reuniões, serão realizadas visitas às comunidades, para validar os dados levantados e obter elementos sociais, culturais, econômicos e históricos destas comunidades, que possam complementar o conhecimento da sua realidade”. Com base nos resultados obtidos durante os encontros iniciais, serão elaborados estudos de caso, que serão apresentados e discutidos em um Seminário, no Brasil, ao final deste ano, com a presença de autoridades e lideranças das comunidades afro-rurais dos países envolvidos, consultores e especialistas, governos federais e dos organismos internacionais. Serão compostas duas equipes multidisciplinares, formadas por quatro consultores/ pesquisadores contratados, sendo dois consultores com formação em ciências da terra e dois consultores com formação em ciências sociais. Cada uma destas equipes será integrada por um representante das comunidades afro-rurais dos países envolvidos, remunerado pelo projeto, que terá a oportunidade de vivenciar a experiência do trabalho de campo em outra comunidade que não a sua, já efetivando, dessa forma, o intercâmbio com outros grupos afro rurais.

© 2017 Instituto Brasil Rural - Todos os direitos reservados
by Guest   Fotos Pisco Del Gaiso
He went on to produce his own watches a few years later, and replica watches the Rolex name came about in 1908. In about 1920 he moved to Bienne, Switzerland to open Montres Rolex S.A., which is when everything really begun. Just six years later the brand's hallmark product family would be released. One thing is notably absent from the 1926 Rolex Oyster replica watches. The trademark crown logo is missing. Rolex didn't come up with the crown logo until the early 1930s, but you can see that on one of the pieces the Rolex name was presented in the same font and style that it is in today. You'll also notice the replica watches uk fluted bezel, which is also a hallmark of Rolex design on today's Datejust and Day-Date models (among others) This was part of replica watches the patented water-resistance system employed in the Rolex Oyster. Hermetically sealed, the Rolex Oyster was innovative not just for being able to be taken into the water, but for resisting a range of replica watches sale liquids and particles such as dust from entering the case.